Minha foto
Produtora cultural, aprendiz de escritora e fotógrafa, devoradora de livros e chocolates, "fazedora" e mantenedora de amigos.

domingo, 19 de julho de 2009

Univvverrsso Gentileza


O projeto Rio com Gentileza foi um dos projetos em que trabalhei que mais me afetou.
Trabalhar com a história do profeta e com suas filosofias e posturas diante desse nosso mundo me vizeram enchergá-lo, o mundo, de outra forma. Pequenas atitudes podem tornar-se grandiosas se as realizarmos com verdade. E voltar a trabalhar com o profeta e com sua obra, para mim, será um retorno a meu momento mais brilhante, como pessoa e como vivência dos meus afetos. Enfim, bem vindo(a) de volta à minha vida, Gentileza.

O livro Univvverrsso Gentileza recupera a pesquisa inicial realizada pelo Professor do Departamento de Arte da Universidade Federal Fluminense (UFF) e coordenador do Movimento Rio com Gentileza Leonardo Guelman sobre o Profeta Gentileza, produzida durante o Mestrado em Filosofia na UERJ, sob orientação de Leonardo Boff. A publicação recupera ainda os conteúdos do livro Brasil Tempo de Gentileza, também de Guelman. (site http://www.gentilezageragentileza.com.br/)

Lançamento em Curitiba - dia 22 de julho de 2009 nas Livrarias Curitiba

Certa vez me disseram que não deveria mais falar POR FAVOR e MUITO OBRIGADO, palavras que havia aprendido na infância e usado por toda a minha vida como corretas e educadas, e sim em seu lugar POR GENTILEZA e AGRADECIDA. Achei meio absurdo e exagerado. Apesar de as novas palavras serem bem agradáveis e fazer sentido sua utilização, me soavam estranhas aos ouvidos e me sentia meio automatizada ao dizer aquilo que não me saia naturalmente e que me ‘obrigava’ a utilizar expressões que não faziam parte do meu vocabulário. Sempre tive dificuldades em executar algo que me disseram ser o correto sem explicações e convencimento.

Então fui ler a história do profeta, conhecer melhor sua história e vida, de como tinha abdicado de tudo para ensinar estas palavras, de como tinha deixado a convivência com sua própria família para consolar outras tantas por suas perdas, de como havia enfrentado e confrontado toda uma sociedade ao tomar as ruas e propagar sua mensagem bonita, coerente e agressiva em uma década que se dizia libertária. Passaram-se os anos e ele se manteve ali, fiel aos seus princípios e à suas verdades e novamente próximo de sua família. Tido como maluco por alguns, se dizia maluco beleza. Tido como insano por muitos, esbravejava suas palavras gentis. Visto como um profeta urbano era tratado com o carinho e a gentileza que tanto propagou. Viajou por todo o Brasil, cativou pensadores e ganhou muitas estampas nos jornais. Então tornou suas mensagens concretas ao escrevê-las no próprio concreto, em um lugar por onde as pessoas, antes, apenas passavam. A este lugar cheio de fumaça, cinzas e muita sujeira, trouxe a beleza, a cor, a simbologia e a sonoridade de suas palavras. Fez-se presente na vida da muitas pessoas que até então apenas o tinham visto de relance, ou ouvido falar do louquinho do circo em cinzas.

Fez-se ouvir pela palavra escrita, fez-se notar pela figura não vista.

Me encantei pela sua história, e então já fazia sentido tentar usar ‘suas’ palavras. E passei a usá-las, com prazer, com gentileza. Quando passei a usá-las me espantei ao observar as reações das pessoas. Ao contrário do POR FAVOR, que é recebido naturalmente, até indiferentemente sem maiores reações, ao abordar alguém com POR GENTILEZA a pessoa para, levanta o olhar, presta atenção a quem esta falando e ao que se esta falando e até, às vezes, esboça um leve sorriso de satisfação de poder realizar uma gentileza a alguém que a esta pedindo.
É impressionante a boa vontade, na maioria das vezes, com que se é recebido, atendido e tratado ao pronunciar tais palavras de tão grande expressão.
Descobri o poder da palavra, a importância de se notar o significado delas antes de usá-las automaticamente, e sua relevância na propagação de uma intenção, um conceito ou uma mensagem que se queira propagar.
Hoje peço POR GENTILEZA, me digo AGRADECIDA e vejo portas e sorrisos abrirem-se ao soar de palavras tão simples, tão belas e tão significativas.



2 comentários:

Angela disse...

Que lindo Mariana!
Faz tempo, muito antes desta bobagem dos 'políticamente corretos', uma nova forma de incutir regras, apregoei que Muito Obrigada era um terror- transformava tudo em obrigação e vínculos devedores. Outra é 'valer a pena'! Por que não apenas 'valer'?
Que coisa terrível esta de colocar penas e deveres em todo lado!
Que bom você ser da minha turma! Dos que não se robotizam e lembram aos demais que uma palavrinha pode trazer consciência, desrobotizar!
Que bom vc gostar do que escrevo e apoiar a postura de minha filha Fábia.
Neste seu blog, além dos parabéns, deixo uma sugestão: usa uma cor de letra mais clara- branco ou amarelinho, azul também, para que a leitura seja menos cansativa! Os mais velhos ficarão agradecidos pela gentileza!

Nelson disse...

Hola Mariana...Por esas casualidades que nos ofrecen las circunstancias virtuales,logré llegar a vuestro blog. Me gustó tu crecimiento en una patria admirada por mí, tu lindo Brasil, que con toda sus pobrezas y todas sus riquezas, nos muestra un lado humano intenso en los rostros de millones de hombres y mujeres libres y de buenas costumbres, soy en el mundo poéticom solo un humilde aprendiz, un soñador errante que buscando amistades, ha encontrado grandes tesoros, te dejo un par de invitaciones:
www.eneuese.us y ahí una serie de blogs... Cada domingo a las 6 de la tarde leo mis poesías desde Suecia, lugar donde vivo, para una radio en Argentina www.raices885.com.ar, te dejo un correo urrasilva@gmail.com.
Me suscribo con un triple abrazo, cordial, sincero y fraterno
Nelson Urra Silva