Minha foto
Produtora cultural, aprendiz de escritora e fotógrafa, devoradora de livros e chocolates, "fazedora" e mantenedora de amigos.

terça-feira, 7 de março de 2017

Minha poesia morreu

Minha poesia morreu.
Ela morre e renasce todos os dias.
A cada bela paisagem vista, retorna gloriosa
e em cada triste pensamento, ela termina.

Minha poesia permanece viva,
ela ganha força, nas minhas noites insones,
e desanima, no abrir de olhos,
morta na frieza das contas vencidas.

Minha poesia é do mundo,
procura emoções por todos os caminhos
se perde nas esquinas, nos desafetos ganhos
e sempre acaba se encontrando, mesmo sozinha

Vida e morte são transições difíceis,
e a poesia se alimenta das inconstâncias
da dor final, ela tira belas saudades
e das fases da vida, doçuras inenarráveis.

Passo a vida procurando minha poesia,
em cada fresta encontro um pedacinho,
o choro surge quando parece perdida
e por detrás das lágrimas, renasce, ganha vida.

Nenhum comentário: